Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Actitude: vender sapatos portugueses em Bruxelas

Lusoproductions / Tony da Silva Lusoproductions / Tony da Silva Lusoproductions / Tony da Silva Lusoproductions / Tony da Silva Lusoproductions / Tony da Silva

Em 2013, quando chegou à Bélgica, o casal Ana Brás Esteves e Horácio Esteves lançaram-se no ramo do calçado e abriram uma primeira sapataria em Bruxelas. Um setor completamente diferente do qual estavam habituados em Portugal. “Eu estava de facto ligada ao design e o meu marido à construção, eram ramos diferentes, mas este, na altura, foi o que nos pareceu mais adequado”, explicou Ana Esteves ao LusoJornal.

A sapataria tem uma particularidade: só vende sapatos de marcas portuguesas. Mais, só vende sapatos fabricados em Portugal. E o casal Esteves orgulha-se desta particularidade.

Foi com a intenção de continuar ligada a Portugal que a empresária quis evitar abrir mais uma mercearia ou vender produtos tradicionais portugueses. “Lembrámo-nos do calçado português e na altura estava muito em alta, e também havia uma lacuna nessa área aqui na Bélgica. Basicamente era tudo muito igual, muito cinzento, enquanto nós Portugueses gostamos muito de design e foi assim que decidimos ocupar esse espaço vazio com novas ideias e propor um calçado diferente e moderno”.

A empresa chama-se Actitude@.pt e teve uma primeira loja na rue du Vieux Marché aux Grais, antes de se mudar para a rue de la Madeleine. “Era logo aqui ao lado, a primeira loja estava num sitio onde estão outras marcas conhecidas, mas esta rua é bem mais movimentada e era este o tipo de espaço que queríamos” completa Horácio Esteves.

O facto de Portugal estar na moda contribui também para o sucesso da loja. A imagem positiva dos Portugueses e o “savoir faire” dos Portugueses em matéria de calçado favorece sem dúvida o desenvolvimento da Actitude. Contudo a responsável apontou para o facto de não haver ainda marcas portuguesas conhecidas. “Há uma ou duas marcas mais conhecidas, mas pouco internacionalmente. Mas as pessoas começam a conhecer, somos bons fabricantes e o nosso calçado é sem dúvida muito confortável”.

Ana Esteves não só aproveita o facto de Portugal estar a ser muito procurado pelo estrangeiro como também vê o prisma de ângulo diferente. “Penso que com esta sapataria, estamos a ajudar a economia portuguesa ou pelo menos a contribuir para a promoção dos nossos produtos. Até porque quando abrimos a sapataria, Portugal ainda não estava na moda”, apontou.

Por seu lado, Horácio Esteves relembrou que haviam feito um trabalho de prospeção do mercado e rapidamente se aperceberam da carência na variedade do calçado belga. O gerente sublinhou ainda que não queriam vender sapatos só para Portugueses e “não quisemos identificar de imediato que era uma loja portuguesa. Mas muito naturalmente os clientes ficam a saber que temos orgulho em sermos Portugueses e que vendemos calçado português”.

Através da Actitude, muitos Belgas e outros estrangeiros começam a descobrir o calçado português.

Ana Esteves não recebeu ajudas financeiras, mas a AICEP organizou um evento de apresentação da empresa na Embaixada de Portugal.

Situada num bairro privilegiado em Bruxelas, optaram por fechar a primeira loja “que finalmente estava muito próxima desta e não tinha sentido termos duas tão perto uma da outra, mas o nosso objetivo é mesmo voltar a abrir outra sapataria na zona da Flandres. Mas continuaremos sempre com esta que usufrui dum grande fluxo de pessoas”, explicou. Antuérpia pode estar na mira de uma segunda loja da Actitude.

A aposta na qualidade e na variedade reflete-se no aumento da clientela. “Queremos abranger o maior número de pessoas, e notamos que as pessoas hesitam entre uns e outros, porque vários modelos agradam e não porque não gostam de nenhum”, referiu Ana Esteves ao LusoJornal. “Temos calçado que já viajou por todo o mundo, graças a uma uma clientela muito variada e aos turistas que aqui entram todos os dias”.

A Actitude não é uma sapataria tradicional, optando por uma disposição moderna para atrair mais os clientes.

O casal Esteves desloca-se várias vezes a Portugal e a outras feiras internacionais para conhecerem as novas tendências e multiplicar contactos com outros fornecedores. Horácio Esteves explicou ainda que muitas das marcas portuguesas têm um nome inglês para penetrarem melhor no mercado estrangeiro, mas a sua fabricação é “bem portuguesa”.

O casal Esteves espera regressar a Portugal um dia, mas acredita que continuará a viver entre os dois países, “como a maioria dos emigrantes faz agora”.

 

Actitude@.pt

Rue de la Madeleine 41

1000 Bruxelles

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 9 Votos
8.7