Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Catorze membros do Governo e mais de 20 entidades estatais vão participar no II Encontro dos Investidores da Diáspora, dias 15 e 16 de dezembro, em Viana do Castelo, anunciou o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

José Luís Carneiro, que falava em conferência de imprensa na Câmara da capital do Alto Minho, adiantou que «já há mais de 220 inscritos, de 32 países», sendo que as inscrições terminam no final deste mês. «Estamos convictos de que será o maior encontro dos empresários da diáspora», disse, referindo que a edição realizada em 2016, em Sintra, contou com mais de 300 participantes de 38 países.

Além dos 14 membros do Governo, entre eles, os Ministros dos Negócios Estrangeiros e da Economia, estarão presentes «entidades responsáveis pela informação, pelo conhecimento e pelos instrumentos de apoio ao investimento em Portugal e, muito particularmente, as instituições geradoras de oportunidades de investimento em Portugal».

José Luís Carneiro, que falava aos jornalistas durante a apresentação do programa da iniciativa, realçou que, em 2016, foi registado «o maior valor de sempre das transferências dos emigrantes para Portugal, mais de 3.300 milhões euros». Destacou ainda o aumento, «incessante, na procura de cartões de cidadão, na renovação, na procura de passaportes, de vistos para Portugal, para turismo e para investir em Portugal».

«Em 2016 alcançámos mais de 1.960 milhões de atos consulares na rede de todo o mundo e que este ano ultrapassaremos, significativamente, os dois milhões de atos consulares», referiu, sublinhando que aqueles valores que «os Portugueses que saíram, nas diferentes gerações, continuam a acreditar e a olhar para o futuro do seu país com muita esperança».

Com o tema «Conhecer para Investir», o encontro resulta de uma iniciativa conjunta da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora (GAID) e da Câmara de Viana do Castelo.

O Presidente da Câmara local e líder da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, José Maria Costa (na foto) disse que este encontro vai servir para «mostrar o trabalho que tem vindo a ser feito na captação de investimento e a estratégia de internacionalização de Viana do Castelo».

«Segundo números do Instituto Nacional de Estatística (INE), Viana do Castelo foi, em 2016, o oitavo município mais exportador do norte do país. Em 2011 tínhamos exportações no valor de 400 milhões de euros e, em 2016, ultrapassámos os 800 milhões de euros. Sendo uma região amiga do investimento e amiga de oportunidades de investimento esta é uma oportunidade de ouro», frisou.

Promover a dinamização do tecido empresarial da diáspora portuguesa e do seu duplo potencial, enquanto origem de fluxos de investimento e destino de iniciativas de diversificação de mercados por parte de empresários portugueses, ao nível das micro e pequenas empresas, partilhar experiências e criar uma rede de trabalho são os objetivos do encontro.

O programa foi concebido em torno de painéis dedicados a oportunidades, instituições e instrumentos de apoio ao investimento, modelos de associação e participação em rede, focados nas universidades, câmaras de comércio e indústria portuguesas no estrangeiro e outras formas de associativismo empresarial da diáspora.

O papel das autarquias, regiões, cooperação regional e transfronteiriça serão outros dos temas dos painéis a lançar por membros do Governo com a participação de instituições e entidades nacionais nas áreas do investimento e empreendedorismo com origem ou destino na diáspora.

Há ainda dois painéis adicionais para apresentação de iniciativas e casos concretos de empreendedorismo da diáspora.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
5.2