Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A realizadora Salomé Lamas, a encenadora Angélica Lindell, o coreógrafo Eric Castaign e o escritor Gonçalo M. Tavares estão entre os criadores que vão dirigir os ‘workshops’ da escola de verão da BoCA, a partir de dia 30, em Lisboa.

A Bienal de Artes Contemporâneas (BoCA – Biennial of Contemporary Arts) anunciou a programação da sua escola de verão, aberta a estudantes e artistas portugueses, que podem aprender com criadores nacionais e estrangeiros que, de 30 de agosto a 17 de setembro, dirigem ‘workshops’, em Lisboa.

Todos os envolvidos no mundo artístico português têm hipotése de participar nos diversos ‘workshops’, dirigidos por convidados do diretor artístico da BoCA, John Romão, promovidos pela bienal de artes contemporâneas que teve este ano a primeira edição.

As formações terão lugar em instituições lisboetas, como o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Belém, e o Teatro Nacional D. Maria II, já parceiras da Bienal, que se juntam ainda à Fundação GDA, Gestão dos Direitos dos Artistas.

Num ambiente multicultural, o primeiro de um total de seis ‘workshops’ é dirigido pelo compositor e realizador de cinema, belga, Thierry De Mey, e decorre de 30 de agosto a 2 de setembro.

Esta oficina explora a temática da composição musical, numa formação a ter lugar no edifício Coleção Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (Centro de Arte Moderna, CAM), que deve atrair «compositores, músicos, intérpretes e criadores de artes performativas», de acordo com o comunicado da bienal de artes contemporâneas, enviado à Lusa.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 0 Votos
0.0