Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

 

A Seleção feminina de Portugal perdeu ontem na receção à Bélgica por 1-0, na estreia no Grupo 6 da zona europeia de qualificação para o Mundial de futebol de 2019, em jogo disputado em Penafiel.

 

O único golo do encontro foi marcado no arranque da segunda parte, aos 47 minutos, por De Caigny, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto, e manteve as Belgas no primeiro lugar do grupo, com os mesmos nove pontos da cabeça de série Itália, ambas com três jogos disputados.

 

Portugal, que só agora iniciou qualificação, Moldávia (dois jogos) e Roménia (três) ainda não pontuaram.

 

Só o primeiro classificado tem a qualificação garantida para o Mundial, onde a equipa lusa, que em 2017 se estreou na fase final de um Europeu, nunca esteve, enquanto os quatro melhores segundos vão disputar um ‘play-off’.

 

A formação belga, que iniciou o apuramento para o Mundial2019 em setembro, chegou a Penafiel com dois triunfos no Grupo 6, após golear a Moldávia por 12-0 e bater a Roménia por 3-2, e disposta a desfazer a seu favor o número de vitórias em confrontos diretos (duas para cada lado).

 

A melhor cotação internacional das Belgas (23ª Seleção feminina do mundo, contra o 34º lugar das Portuguesas) era o fator diferenciador e tinha tradução em campo por uma maior maturidade.

 

Esse rigor tático e frieza das Belgas, aliados a uma maior compleição física, com ganhos evidentes nos ‘duelos’ individuais, acabaram mesmo por fazer a diferença, num jogo em que Portugal privilegiou um futebol mais trabalhado, assente num jogo curto e em apoios, ao qual pareceu faltar alguma capacidade de finalização.

 

O equilíbrio pautou o jogo, com prevalência das defesas sobre os ataques, o que ajuda também a explicar a escassez de lances de perigo junto das duas balizas.

 

Carolina Mendes, aos 16 minutos, demorou ligeiramente no remate, desperdiçando a oportunidade de surpreender uma Bélgica que procurou sempre pressionar a portadora da bola, para condicionar a construção, e, em posse, arriscava mais num jogo simples e vertical, à procura das suas avançadas.

 

Cayman mostrou-se pela primeira vez no jogo, aos 22 minutos, numa jogada pelo corredor, mas seria Van Gorp, aos 40, a desperdiçar a grande oportunidade do jogo, quando apareceu isolada na área, na sequência de um livre, mas rematou por cima.

 

A desatenção da defensiva lusa teve continuidade no reatamento, quando De Caigny, aos 47 minutos, surgiu sem marcação ao primeiro poste a desviar, de cabeça, para a baliza, inaugurando o marcador.

 

Francisco Neto respondeu a partir do banco, mas a velocidade de Jéssica Silva e capacidade de construção de Andreia Norton, a espaços acompanhadas pelas iniciativas pelo corredor de Ana Borges, acabaram por não ter resultados práticos, face a uma Bélgica que soube recuar as linhas e defender com grande segurança.

 

 

 

Portugal 0-1 Bélgica

 

Estádio 25 de Abril, em Penafiel

 

Assistência: 4.136 espetadores

 

Árbitro: Anastasia Pustovoitova (Rússia)

 

Portugal: Patrícia Morais, Ana Borges, Raquel Infante, Carole Costa, Dolores Silva, Diana Silva, Fátima Pinto (Laura Luís, 86 min), Tatiana Pinto, Vanessa Marques, Ana Leite (Jéssica Silva, 59 min) e Carolina Mendes (Andreia Norton, 69 min). Outras suplentes: Rute Costa, Sílvia Rebelo, Matilde Fidalgo e Melissa Antunes. Treinador: Francisco Neto

 

Bélgica: Odeurs, Deloose, Zeler, Deneve, Philtjens, Vanmechelen (Coryn, 44 min, Coutereeis, 90+2 min), Biesmans, Tine de Caigny, Van Gorp (Daniels, 67 min), Cayman e Wullaert. Outras suplentes: Lemey, Onzia, Wajnblum e Tison. Treinador: Ives Serneels

 

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Daniels (75 min) e Ana Borges (76 min)

 

Marcadora: Tine de Caigny (47 min)

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
10.0